O que esperar para 2019?

O que esperar para 2019?

De acordo com um estudo (1) da consultoria Gartner, os gastos com produtos e serviços ligados à segurança da informação chegarão a $124 bilhões em 2019, um crescimento de 8.7% em relação a 2018. Essa projeção reflete, sem precedentes, os desafios relacionados à segurança cibernética e à proteção de dados enfrentados pelas empresas (de todos os portes, é bom frisar). 

As ameaças digitais evoluem em compasso com o progresso tecnológico. Não falamos, aqui, de uma realidade distante, mas, sim, daquilo que nos cerca em nosso dia a dia: tecnologias cada vez mais comuns na sociedade digital como reconhecimento facial, internet das coisas, internet 5G, drones, big data, inteligência artificial, mapeamento genético, carros autônomos, smartphones, relógios inteligentes. 

Todas as tecnologias listadas estão mudando os limites e as expectativas de privacidade, trazendo diversos desafios para a sociedade civil, governo, órgãos reguladores, empresas e organizações. E se o ano de 2018 trouxe à tona tantos incidentes, foi para tornar clara a real situação, qual seja, a de atenção e ação quanto à proteção dos nossos dados, estejamos nós na figura de titulares, operadores ou controladores.  

A segurança da informação é fator chave para transformação digital da sociedade. E, diante do que foi até aqui estudado, alguns comportamentos podem ser essenciais aos ambientes corporativos para prevenção de problemas futuros, como a observância das regulações, nacionais e internacionais, ligadas à proteção de dados; a análise dos riscos dos negócios digitais, e a proteção de propriedade intelectual no ambiente online. Adotar uma conduta compliant às legislações e regulações é o primeiro passo para diminuição de tantos riscos. 

E com relação ao ano que se inicia, o que podemos esperar? Bem, as primeiras semanas de 2019 já reuniram dois grandes acontecimentos. Em 17 de janeiro, um pesquisador de segurança digital descobriu uma base de dados com aproximadamente 773 milhões de e-mails únicos e 21 milhões de senhas únicas (2), em um dos maiores vazamentos de dados da história. Em 21 de janeiro, a CNIL (Autoridade de Proteção de dados da França) impôs à Google uma multa de 50 milhões de euros, por falta de transparência e consentimento válido dos anúncios, além de informação inadequada. 

Assim, é nítido que empresas que lidam com dados estão sujeitas a incidentes de segurança. E, aqui, incluem-se todas elas: as gigantes da tecnologia e o pequeno empreendimento do nosso bairro. O custo dos incidentes é alto: identificação do problema, notificação aos usuários, multas regulatórias, perda de reputação e negócios.  

Tais considerações nos fazem concluir que a conduta preventiva ainda é a melhor estratégia a ser adotada. Conheça seu negócio, saiba quais dados são coletados e de que forma são tratados. Olhe com atenção às ferramentas que você já possui e, se necessário, procure um especialista. 

1 Disponível em inglês https://www.gartner.com/en/newsroom/press-releases/2018-08-15-gartner-forecasts-worldwide-information-security-spending-to-exceed-124-billion-in-2019,

2 Disponível em inglês https://www.troyhunt.com/the-773-million-record-collection-1-data-reach/