Queda na porcentagem de imóveis retomados por falta de pagamento

Queda na porcentagem de imóveis retomados por falta de pagamento

Segundo dados da Associação dos Registradores Imobiliários de São Paulo (Arisp), entre março de 2018 e 2019, em comparação com os 12 meses anteriores, diminuiu a quantidade de imóveis retomados em razão de falta de pagamento do financiamento. O número de imóveis recuperados pelas instituições financeiras, equivale a menos de 1% das transações ocorridas. 

O número de execuções extrajudiciais de imóveis adquiridos com créditos vinculados a alienação fiduciária também teve queda de cerca de 22,9%, entre abril do ano passado e março de 2019. Patrícia Ferraz, da Arisp, justifica o ocorrido informando que após o advento da lei de alienação fiduciária (Lei nº 9.514/97), os financiamentos vêm aumentando e os juros, diminuindo, dada a facilidade de retomada do bem.

Anteriormente, a quase totalidade dos financiamentos imobiliários eram garantidos por hipoteca, em que a execução depende exclusivamente do Poder Judiciário, levando cerca de 6 a 10 anos para se concluir. Hoje, grande parte dos financiamentos é garantida pela modalidade de alienação fiduciária, em que o imóvel pode ser recuperado rapidamente (cerca de 3 meses), em caso de inadimplência.