Concessão dos aeroportos Afonso Pena e Bacacheri à iniciativa privada começa em março

Concessão dos aeroportos Afonso Pena e Bacacheri à iniciativa privada começa em março

Concessão dos aeroportos Afonso Pena e Bacacheri à iniciativa privada começa em março

No dia 16 de março o governo federal vai lançar o edital para conceder quatro aeroportos do Paraná para a iniciativa privada. No próximo lote de concessões do governo federal estão os aeroportos Afonso Pena, em São José dos Pinhais; o aeroporto do Bacacheri, em Curitiba e os aeroportos de Foz do Iguaçu e Londrina. A informação foi confirmada nesta terça-feira (2) pelo governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), após uma série de agendas em Brasília.

Segundo o governador, ainda que as concessões sejam feitas pelo governo federal, o Paraná está participando da modelagem das propostas e indicando quais são as prioridades regionais.

“Teremos um comitê junto ao governo federal para participar desses processos e colocar na mesa as exigências do estado. Nós vamos colocar as prioridades, e uma delas é a ampliação da pista do aeroporto de Foz, que hoje é o maior gargalo que temos”, afirmou o governador ao sair de uma reunião com o ministro da Controladoria-Geral da União, em Brasília.

Ainda segundo Ratinho esse sexto lote de concessões dentro do qual estão os aeroportos paranaenses seria lançado apenas em julho, mas foi adiantado para o dia 16 de março.

A concessão dos aeroportos paranaenses já era aventada desde o governo Michel Temer (MDB) e ganhou força na gestão de Jair Bolsonaro (PSL) após o anúncio de que o Programa de Parcerias de Investimentos iria vai priorizar a desestatização de aeroportos e ferrovias.

Esse sexto lote de concessões terá aproximadamente 21 aeroportos, divididos em três blocos: Bloco Sul com oito aeroportos, tendo como principal o de Curitiba; Bloco Norte 1 com 7 aeroportos, tendo Manaus (AM) com o de maior porte; e o Bloco Central com 6 aeroportos, tendo grandes aeroportos como o de Goiânia (GO), com R$ 3,4 bilhões de investimentos estimados.


Fonte: Gazeta do Povo